13/08/2014

Como incentivar o senso crítico dos alunos



Costumamos afirmar que o aluno deste século precisa ser instigado a ser o protagonista de sua aprendizagem, formando sua própria opinião. Mas será isso possível?
Um aluno só conseguirá ser o protagonista da sua aprendizagem se tiver desenvolvido o pensamento crítico. Isso porque esse é o alicerce para exercitar esse questionamento, portanto a família e a escola precisa estimular a reflexão na criança, de modo que ela tire as suas próprias conclusões de assuntos abordados.
Como exercitar a reflexão
E como os alunos podem criar a sua própria opinião sobre teorias e fatos, se não foram acostumados a pensar criticamente sobre a forma de pensar e sobre a atitude presente na gênese dessas teorias?
O ensino não pode se restringir apenas a preparação dos estudantes para alcançar uma vaga em um curso de faculdade, mas deve amadurecer o pensamento através do exercício da crítica e da interpretação dos fatos.
Os professores podem, de muitas maneiras, instigar esse pensamento crítico nos alunos como, por meio da curiosidade, da incerteza e da dúvida, de forma a promover discussão crítica por meio de debates, onde acaba por propiciar argumentos contra e a favor. O professor ainda pode mostrar aos alunos que ninguém tem como garantir que o que está sendo afirmado ali é verdadeiramente certo.
Portanto, se o aluno perceber e conseguir se convencer de que está realmente certo, ele vai se apropriar com convicção, sabendo usar em toda situação o que aprendeu. Mas caso discorde, poderá dar um novo rumo ao que, até aquele momento, ele tinha como correto.
Protagonista da aprendizagem
Usando da didática acima citada, o professor desenvolverá a crítica nos alunos, propiciando assim a participação ativa em suas aulas, formando opiniões e transformando os alunos protagonistas da sua própria aprendizagem.
Esses exercícios precisam ser estimulados pela família também. Quando os pais respondem “Já disse que não e pronto!”, “Não vai porque não quero”, acabam inibindo o desenvolvimento de pensamento crítico em seus filhos e como consequência, eles propiciam o comportamento automático na criança.
Pensamento crítico: oportunidade para a vida toda
Instigar o pensamento crítico não é importante apenas no período escolar, mas pela vida toda. Quando um ser humano tem um pensamento crítico ativo, ele possui um grande diferencial em situações que devem agir com conformidade entre a moral e a ética.
Então, além da participação em sala de aula é importante a escola promover a expressão do pensamento individual nas avaliações também. A partir do que a aluno expressa com liberdade a sua forma de entendimento em relação ao que está sendo abordado na avaliação, o professor conseguirá avaliar se o aluno está ou não aprendendo.
Outra forma de estimular o senso crítico nos alunos é por meio de trabalhos em grupos e individuais, onde abordasse ao final, o item “Considerações finais” para que assim eles possam exprimir as suas opiniões sobre o assunto e por documentários.
A construção da opinião deve ser calcada através do conhecimento de diferentes realidades e da comparação de situações, por isso é de suma importância o acesso a informação sobre outras realidades para que através da análise dos fatos chegue-se a uma conlusão. Não é à toa pessoas que viajam muito acabam desenvolvendo uma maior facilidade em comparar realidades, quando um indivíduo tem contato com diferentes formas de viver a mente se abre para a análise e a visão abrange novas ideias.
Sem contar que o aluno quando possui um senso crítico, sabe onde quer chegar e lutará para alcançar essa meta.

Dafna Obadia – é escritora e assistente virtual paraense, cursou Licenciatura em Letras (Língua Portuguesa / Língua Inglesa) na Universidade Anhanguera.

09/07/2014

Os desafios da educação infantil nos dias atuais


A infância é o momento que dá base da aprendizagem do ser humano, por isso, a atuação da família e escola é extremamente importante, porém, a realidade da educação infantil, especialmente no Brasil, é cheia de dificuldades que determinam a evolução da qualidade do ensino.
A educação infantil e o sistema de saúde são alguns dos pontos mais relevantes na estrutura de uma sociedade, por serem extremamente importantes para o indivíduo. Na saúde, o atendimento e acompanhamento pelo pediatra desde o nascimento. No caso do ensino,  deve acumular conhecimento de diversas áreas, para que a criança obtenha uma absorção essencial para a sua formação. Não somente de matérias vive a educação infantil, mas sim, de um processo interdisciplinar, feito especialmente na troca de informações entre pais (família) e educadores. Mas, se isso ocorre, por que o ensino infantil ainda falha tanto? Quais são os principais desafios?

As dificuldades do processo de ensino-aprendizagem

Não só no Brasil, mas no mundo todo, o principal desafio da educação infantil é consolidar o processo de ensino-aprendizagem com uma boa qualidade, através de métodos educacionais eficazes. O problema todo se inicia com fatores essenciais para a educação: a qualificação dos profissionais, a valorização dos profissionais e o entendimento e participação dos pais.

A qualificação do profissional da educação infantil

O problema com qualificação dos profissionais se dá, em maior parte, com o currículo de faculdades que não trabalham uma preparação eficiente dos profissionais que irão atuar na educação infantil. É claro que existem diversos cursos e muito deles podem preparar o profissional do ensino, no entanto, o desenfreio e a falta de uma regulamentação maior prejudica o controle dos cursos superiores.
A falta de fiscalização dos profissionais da educação, especialmente do ensino público, dá margem para uma divergência muito grande na forma de educar. Embora os professores, a escola e a equipe técnica deva ter autonomia no seu trabalho, o plano de ensino para a idade infantil, com as disciplinas e os métodos de ensino-aprendizagem deveriam ser mais uniformizadas, para contemplar, principalmente a escolas mais distantes, as crianças portadoras de deficiência e outras situações especiais.

A valorização do profissional de educação

Aliado a isso, a falta de valorização do profissional é um fator que dá mais ênfase a essa dificuldade do ensino infantil, no entanto, há ainda mais um fator que contribui fortemente para que haja mais desafios neste processo: a participação da família de forma ativa na educação.
O fator da família pode esbarrar por diversos fatores: a falta de tempo, a falta de conhecimento e outros. O diálogo entre escola e família, especialmente no ensino básico, de acordo com pesquisas, é de muita importância para o desenvolvimento do aluno.
Quando a família abandona o aluno, deixando apenas o encargo para a escola, o processo não se completa, especialmente pela falta de maturidade do aluno e, também, porque se sente desamparado.

Dafna Obadia


20/06/2014

Troquinha entre "arteiras" - lista parcial


Lista parcial das interessadas na troquinha do grupo patchwork:

Meninas, está é a lista das interessadas (por enquanto - inscrições até dia 25 de junho). Se eu nome está na lista, mas você não quer participar, avise que excluirei. Os nomes em vermelho não deixaram e-mail, se querem participar, é só deixar o e-mail (pode ser nos comentários desse post aqui no blog ou (inbox) no meu perfil do facebook - você me acha na barrinha do lado esquerdo aqui no blog). Se quiser, pode convidar alguma amiga mesmo que não faça parte do grupo de patchwork do face.

(após fechar as inscrições enviarei por e-mail as informações da troquinha.. então, você poderá decidir se continua ou não... essa listagem é de interessadas, não é a listagem final, certo?)

E... 

SURPRESINHA...

fiquei muito feliz com o retorno de vocês para a troquinha, então.... para todas as inscritas, além de receberem os mimos da parceira, participarão um sorteio onde eu enviarei os mimos (ainda vou pensar em algo bem lindo)... COMBINADO???


  1. Adriana Ferreira
  2. Agnes Zicarelli
  3. Alessandra cristina Monteiro
  4. Andrea Lima
  5. Andréa Rosa
  6. Angela SGall
  7. Cheidelaine Dedavid
  8. Cida Assis Garcia
  9. Daniele Ribas Cesar
  10. Edna Lima
  11. Fernanda de Almeida
  12. Gisele Maria
  13. Helida Mara
  14. Iara da Matta
  15. Iza Gomes
  16. Jaliane Serafim
  17. Janaína Cristina
  18. Jaqueline Pinheiro Carvalho
  19. Joseane Paula
  20. Lú Mazer Siciliano 
  21. Luciane Cristina
  22. Marcia Mynssen 
  23. Maria Luzia Jesus
  24. Maria Silva
  25. Monica Leite 
  26. Naira Cristina Rago 
  27. Patricia Cristina Pereira
  28. Rafaela Araujo
  29. Regina Gutierrez Canhetti Correa
  30. Renata Pini Guaspari de Oliveira
  31. Rosély Vieira
  32. Sol Teodoro
  33. Walkirias da Luz (Norma)
  34. Regina Herrero

17/06/2014

Saúde e alimentação devem andar de mãos dadas


A alimentação começa a ter seus hábitos construídos ainda na infância e muitas das características que os filhos vão levar adiante vêm dos exemplos de casa. Daí a importância em reforçar um cuidado maior desde a pequena infância quando os pequenos estão ainda descobrindo o sabor, a textura dos diferentes alimentos.
Investir na introdução de frutas e verduras na fase inicial faz muita diferença. Quando a criança desperta a curiosidade e tem habilidade para comer outros alimentos, é hora dos pais tentarem incluir nas sopinhas e papinhas frutas e verduras. Na fase em que os filhos já mastigam, pedacinhos de frutas cruas como maçã, banana devem servir como lanchinhos.
Nos casos de birra por preferir algo mais doce, é recomendado fazer suquinhos, sempre com pouco açúcar e oferecer para a criança, pedaços pequenos de frutas podem ser adicionadas ao iogurte ou sorvetinho da tarde. O que vale é tentar fazer esses itens alimentares fazer parte da dieta diária da criança. Através do plano de saúde na sua cidade, você deve procurar um pediatra sempre que a criança se recusar muito a ingerir esses alimentos ou caso apareça alguma alergia, mas na maioria dos casos as frutas são sempre bem aceitas e trazem sem sombra de dúvida inúmeras vantagens para a saúde.
Não desista diante da rejeição da criança a algum alimento em particular, com certos intervalos de tempo tente novamente. Por mais que o dia-a-dia seja corrido, tente inovar em bolos e tortinhas que recebam frutas nos recheios e coberturas, a criançada adora novidade, não deixe de variar. É através da ingestão de certos alimentos que trabalhamos para prevenir doenças como anemia e gripes.
Outro detalhe muito relevante é acostumar as crianças a beber água. Elas não devem substitui-la nos lanches por sucos de garrafa ou refrigerante para matar a sede, tente explicar desde cedo a vantagem para a saúde quando se ingere água e o que ela provoca no corpo humano.
É válido também usar da literatura infantil para ajudar nesta fase de crescimento e descobertas. Há livros didáticos que trazem à tona historinhas com essa temática da boa alimentação e da saúde, personagens ajudam a criar esse universo de aprendizagem que de forma lúdica chega mais rápido ao entendimento infantil.

Seu filho(a) tem costume de ingerir frutas e verduras?

Por: Roberta Clarissa Leite

07/06/2014

Matrioskas..... Russia pintando por aqui!!!

 Fofurinhas encomendadas pelas meninas do ministério infantil....

Chapéu russo




 Matrioskas e matrioskos de EVA modelados



Chaveirinhos em feltro




Matrioska grande com bola de isopor oca para recolher ofertinhas...






Matrioska de tecido para incentivo de presença (as matrioskas pequenas de EVA modelado fazem parte desse kit)




Apaisonada pelo resultado!!!

Lata decorada Galinha Pintadinha....

Em fase de produção... breve muitas galinhas pintando por aqui!!!!


04/06/2014

A primeira viagem de avião das crianças




Uma viagem já é motivo para deixar as crianças animadas mais do que o normal, e quando a viagem é de avião a aventura torna-se ainda mais alegre. Mas quando se enfrenta essa experiência pela primeira vez surgem medos sobre a reação dos pequenos, principalmente se a viagem for longa.
Assim como em outras situações o planejamento é o primeiro passo. Cada idade uma necessidade diferente. Para os bebês a alimentação é um dúvida, como fazer em voos de longas horas? O fato é que as empresas aéreas permitem levar o lanchinho pronto da criança, assim como a mamadeira pronta, para os mais crescidos há um menu especial feito para eles, claro, sob pagamento uma taxa extra, dependendo do caso vale a pena.
Outro detalhe para ser pensado é como as crianças ficarão confortáveis durante o voo, o vestuário deve ser o mais leve possível, e ao mesmo tempo, ter extra na bolsa de mão, casaquinhos e meias no caso da aeronave estar muito fria, como geralmente é.
Manter elas confortáveis significa também mantê-las ativas e distraídas, levar algum brinquedo prático, sem ter pequenas partes, para não cair no chão, e o máximo de jogos e filmes carregados nos aparatos eletrônicos irá certamente servir como ajudinha para não deixá-los chateados e entediados à espera do pouso.
O momento mais crítico é durante a performance da aeronave na aterrissagem e decolagem, devido à pressão sentida facilmente, em especial no tubo auditivo. Guarde para este momento alguma guloseima predileta e ofereça aos filhos para que desvie a atenção deles durante os minutos de subida e descida.
Esteja precavido em relação aos imprevistos que podem ocorrer para qualquer família que viaja com crianças pequenas, alergias ou mal estar e a necessidade de ir ao médico, procure um seguro viagem para não ter que desembolsar altos valores, principalmente se for viajar para Europa. Você pode até usar serviços do seu cartão de crédito como o seguro viagem visa. Vários países europeus exigem para entrada a comprovação do seguro viagem. Se você tem dúvidas leia o artigo sobre seguro viagem internacional, você vai entender os detalhes  por quê é importante possuí-lo.
Aproveite o passeio para explicar assuntos como línguas, vegetação e a cultura do novo país que a criança vai conhecer, claro, tudo de acordo com a idade. Você pode propor a coleção de cartões-postais ou até pedir para a criança desenhar como ele imagina a cidade destino de sua viagem. O importante é incluí-la nos planos do passeio e fazer a viagem também interessante para o mundinho deles.

02/03/2014

Escondidinho de Páscoa - PAP


Olá pessoal.... em agradecimento pelo carinho dos amigos que curtem e acompanham meu trabalho, vai de presentinho o PAP dessa fofura. Uma ideia linda para presentear nessa Páscoa.
Foi uma das peças do nosso curso de Páscoa 2013...

Sem mais demorar....
Mãos à obra!!!!



Parte 1 - Caixa de MDF

Pinte a caixa por dentro usando tinta PVA branca.

Espalhe bem a tinta com pincel...


Depois passe o rolinho para a tinta ficar uniforme...

Dê duas demãos de tinta.....


Pinte inclusive as bordinhas da caixa...


Depois de seca a tinta....

Pegue um retalho de tecido maior que a caixa....


Passe cola branca por fora no fundo da caixa...


Espalhe com pincel...


Uniformize com o rolinho....


Cole o tecido no fundo da caixa


Em seguida... cole o tecido nas laterais...


Cuide para que cole bem inclusive nos cantinhos....


Junte as "pontas" que sobraram e corte bem rente à caixa.



Faça isso nas 4 pontas.


Corte os excessos de tecido deixando uma bordinha de +- 3mm


Passe cola com o rolinho nas bordas...


Com o dedo puxe o tecido que sobrou depois do corte!!!!


Repita o processo com a tampa.


Na parte de dentro.... faça pontinhos com uma cor combinando com o tecido usando um pinta bolinhas ou o cabo de um pincel.



Parte 2 - Coelhinha

Lixe as bolinhas
(1 de 80mm e 1 de 60mm)


Recorte retalhos de tamanho suficiente para encapar as bolinhas


Corte a bolinha de 80mm na metade da metade....



Apóie em um suporte...


Aqueça o EVA no ferro...


Pressione o EVA quente contra a bolinha de isopor moldando-o.


Aperte bem as pontas para dentro e espere esfriar!!!


Ainda com as sobras... passe cola quente no isopor....


Cole o EVA puxando para eliminar as rugas que possam ter aparecido....



Depois de ter colado todo o EVA no isopor... corte os excessos.



Com a bolinha já encapada... corte uma tampinha bem pequena da bolinha de 80mm.


Repita todo o processo de modelagem com a bolinha de 60mm.







Passe cola na parte da tampinha cortada da bolinha de 80mm


Cole a bolinha de 60mm (parte de isopor com parte de isopor)


Com o estilete, corte o excesso de bolinha....


Deixando assim:


Passe cola quente no isopor....


Cole sobre um retalho de EVA.



Recorte os excessos...


Corte uma tira de +- 0,5 cm de largura X 15cm de comprimento....

Comece colando na parte de baixo, no pescoço...


Dê toda a volta no pescoço e cole a ponta novamente...


Agora, corte outra tira de +- 1cm x 25cm.

Cole na metade da bolinha maior (bumbum) e...


Contorne colando em volta de todo o corpinho....


Finalize no mesmo lugar que começou a colar....


Recorte, sombreie as orelhas com tinta PVA e cole na orelha maior (plush)



Aqueça a orelha o ferro e modele conforme sua preferência....


Faça isso com as duas orelhas....


Corte a ponta das duas orelhas deixando bem retinho a base à ser colada.


Cole ambas orelhas no topo da bolinha menor (cabeça).


Pegue um botãozinho de coração e corte o cabinho....


Cole na carinha formando o nariz....


Desenhe os olhos, cílios e sobrancelhas com canetinha permanente....


Passe blush nas bochechas.....


Cole um lacinho em uma das orelhas...




Faça os pontos de luz com cola dimensional branca nas orelhas, 


olhos e bochechas....





Recorte o molde do rabinho no EVA branco....


Passe cola instantânea em uma das laterais (só na bordinha) e dobre ao meio....


Com uma tesoura com a ponta bem afiada....
corte tirinhas sem separar...


Cole enrolando toda a tira...


Formará o rabinho do coelho...



 

Cole centralizado no corpo do coelho...



Repita o processo do rabinho 6x no EVA verde.


Cole o coelho bem no centro da caixa....


Distribua as "moitinhas" em volta do coelho (menos na frente)


Prontinho..... nossa fofura está escondidinha!!!
Só esperando a páscoa chegar!!!!









Molde das orelhas e medidas do rabinho e moitinha...
Imprimir em tamanho A4.



Até a próxima ....
Quem gostou... deixa um comentário... assim me animo para fazer/postar outras fofurices!!!

Bejitos!!!