9 de jul de 2014

Os desafios da educação infantil nos dias atuais


A infância é o momento que dá base da aprendizagem do ser humano, por isso, a atuação da família e escola é extremamente importante, porém, a realidade da educação infantil, especialmente no Brasil, é cheia de dificuldades que determinam a evolução da qualidade do ensino.
A educação infantil e o sistema de saúde são alguns dos pontos mais relevantes na estrutura de uma sociedade, por serem extremamente importantes para o indivíduo. Na saúde, o atendimento e acompanhamento pelo pediatra desde o nascimento. No caso do ensino,  deve acumular conhecimento de diversas áreas, para que a criança obtenha uma absorção essencial para a sua formação. Não somente de matérias vive a educação infantil, mas sim, de um processo interdisciplinar, feito especialmente na troca de informações entre pais (família) e educadores. Mas, se isso ocorre, por que o ensino infantil ainda falha tanto? Quais são os principais desafios?

As dificuldades do processo de ensino-aprendizagem

Não só no Brasil, mas no mundo todo, o principal desafio da educação infantil é consolidar o processo de ensino-aprendizagem com uma boa qualidade, através de métodos educacionais eficazes. O problema todo se inicia com fatores essenciais para a educação: a qualificação dos profissionais, a valorização dos profissionais e o entendimento e participação dos pais.

A qualificação do profissional da educação infantil

O problema com qualificação dos profissionais se dá, em maior parte, com o currículo de faculdades que não trabalham uma preparação eficiente dos profissionais que irão atuar na educação infantil. É claro que existem diversos cursos e muito deles podem preparar o profissional do ensino, no entanto, o desenfreio e a falta de uma regulamentação maior prejudica o controle dos cursos superiores.
A falta de fiscalização dos profissionais da educação, especialmente do ensino público, dá margem para uma divergência muito grande na forma de educar. Embora os professores, a escola e a equipe técnica deva ter autonomia no seu trabalho, o plano de ensino para a idade infantil, com as disciplinas e os métodos de ensino-aprendizagem deveriam ser mais uniformizadas, para contemplar, principalmente a escolas mais distantes, as crianças portadoras de deficiência e outras situações especiais.

A valorização do profissional de educação

Aliado a isso, a falta de valorização do profissional é um fator que dá mais ênfase a essa dificuldade do ensino infantil, no entanto, há ainda mais um fator que contribui fortemente para que haja mais desafios neste processo: a participação da família de forma ativa na educação.
O fator da família pode esbarrar por diversos fatores: a falta de tempo, a falta de conhecimento e outros. O diálogo entre escola e família, especialmente no ensino básico, de acordo com pesquisas, é de muita importância para o desenvolvimento do aluno.
Quando a família abandona o aluno, deixando apenas o encargo para a escola, o processo não se completa, especialmente pela falta de maturidade do aluno e, também, porque se sente desamparado.

Dafna Obadia